Doçura

Doçura

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Meu nome

Origem do Nome Wayla:
GERMÂNICO

Qual o significado do nome Wayla: A QUE COMANDA NA GUERRILHA.

Significado e origem do nome wayla - Nada o deixa mais feliz do que um elogio. É capaz de dar uma festa, só porque recebeu um galanteio. Mas em contrapartida entra em profunda depressão quando sente-se humilhado ou desrespeitado. Mas ao invés de colocar a indgnação para fora, se isola de todos. Se dá muito bem com crianças, gosta de demonstrar seu romantismo e sua criatividade.

Significado do nome Wayla - Sua marca no mundo!
SEMPRE ALERTA,AGILIDADE,PERSONALIDADE MÚLTIPLA,SINTONIZADA COM O MUNDO,ESPÍRITO AVENTUREIRO

Estar sempre envolvida com diversas coisas ao mesmo tempo, é uma constante na vida desta personalidade aventureira muito curiosa, impaciente e dinamica. Foge sempre da rotina buscando inovação, por isso tendem a acha-la excitante e imprevisivel. Versatilidade é uma característica muito evidente e quer ver as coisas sempre funcionando. Uma grande sabedoria da pessoa de personalidade 5 é viver o presente, preocupa-se muito pouco com o passado e não cria expectativas com o futuro. Espirito livre, nunca recusa uma viagem. Relaciona-se muito bem com todos e não dispensa uma boa conversa. A melhor forma de estar sempre aproveitando o lado positivo desta vibração é buscar concentrar-se no que faz e uma coisa a cada vez, para não dispersar seu foco e gastar energia à toa.

Partilhando com todos uma descoberta vibrante na minha vida, o significado do meu nome e vejam como não poderia ter outro nome.. rs!
Fiquem a vontade!
Beijos carinhosos

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Palavras apenas, palavras ao vento


As palavras, depois de ditas, nunca mais retornam, caem em outras bocas, invadem os ouvidos atentos e desatento, que distorcem e contorcem.

Depois de proferida se permite ser compreendida, julgada, interpretada, cada um com sei jeito, sua forma, seu tom.

O que eu disse, jamais será repetido da forma como disse, na mesma intonação, no mesmo sentido de ser pronunciado.

A mesma palavra é sentida e ouvida de formas diferentes e depois de dita, acredite, jamais voltará.

Cuidado com o que fala, com o que deseja, pode ser real, pode torna-se verdadeiro, pode voltar-se contra você. Em outra boca, tem outro tom, outra verdade.

Calar e falar.

Quando, como, com quem, porque, com que razão, com que sentido, com qual sonoridade?

Mas principalmente a quais ouvidos?

Aos meus, ando preferindo falar comigo mesma e com Deus, eu e Ele, não contaremos nada a ninguém, guardaremos segredo, saberemos ouvir exatamente o que foi dito, não o que eu penso ter ouvido, as vezes nossos pensamentos falam mais que nossas bocas.

Enfim, como saber?

Calando? e se calar tanto até sucumbir em si mesmo?

E se falar minimamente e sucumbir no outro?

Pense, somente...


segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Alegria

Eu posso sentir, se fechar os olhos eu o sinto.
O natal se aproxima e a emoção de terminar e começar invade nossos mais preciosos sonhos.
Outro ano, mais um ano inteirinho e novo, cheio de aspirações, cheio de adivinhações, cheio de promessas descabidas, promessas inventadas e escondidas.

Mais uma vez, mais sim e não, mais experiências pra viver, caminhos a trilhar, escolhas a fazer.

Mais muito mais de tudo que buscamos e tudo que realizamos a cada dia.

Aqui nessa ilha de faz de conta, que vive e respira o natal a cada mínimo detalhe dos alpendres e vilas, do edifícios altos e construções futurísticas, cada árvore e coqueiro, até o ar exala um novo perfume, andar pelas ruas trás um contentamento diferente que só sentimos nessa época do ano.

Cada vez que durmo e acordo não percebo o tempo passar, mas tudo bem, pedi em oração a Deus que não me fizesse sentir o tempo passar, porque as vezes as dores que só o tempo cura, faz com que ele passe mais lento, então pedi que não visse as dores irem embora e meu pedido foi atendido, não senti os dias e meses passar, mas agora, peço, deixe que esse último momento se demore, se prolongue em meu coração, preciso viver esse momento, com o tempo certo de passar, sem pressa e sem olhar o relógio, sem prever o amanhã.

Esse tempo que juntamos a família ou pouco de família que restou, mas que é tão importante e cabe tão bem nos nossos sorrisos. Que coloca presentes em baixo da árvore e espera, espera ávido como crianças pelo surpresa do que virá.

Fogos, festa, gritos, abraços, lágrimas de felicidade.

Laços renovados, amores inventados, esperanças sem fim.

Eu desejo...

domingo, 22 de novembro de 2009

Agora é a hora


A quanto tempo do fim estamos, a quantos passos do depois ficamos, quando será o ultimo beijo, o ultimo carinho, o ultimo desejo saciado?

Quanto tempo podemos evitar o alguém chegar?

Me permito, vou me permitir, agora é a hora.

Amanhã pode ser tarde demais é tão verdadeiro quanto podemos crer, e só podemos sentir que é verdade quando o amanha não vem, quando a última chance foi realmente a última chance.

Pensar na vida é contemplar o eterno, sem interrupção, sem mudança de rota e de planos, deve ser assim, precisa ser assim ao menos assim não soa catastrofico, mas lembrar vez por outra que aquele beijo foi o último, que o aconchego daquele abraço não pode esperar, nos deixa mais perto da pratica do amor e assim mais felizes.

Imaginar a saudade, só contemplar a suposição de sua existência é difícil, imagina vive-la dia após dia, sem saber como sacia-la.

O que quero dizer amigos, prezados leitores, é que precisamos viver mais, amar em demasia é não esperar, agora é a hora.



♥ Beijos e boa noite ♥

domingo, 15 de novembro de 2009

Xiii

Só quero pegar meu carro, dar a partida, ligar o som alto com minhas músicas prediletas, não falar nada e não ouvir ninguém.
Quero silencio, puro e constante, quero paz nos meus ouvidos.
Não quero tomar decições e não quero acatar ordens, quero apenas fazer absolutamente nada para sentir o vento passar por mim, me abraçar e se despedir.

Deitar e dormir,a penas dormir, hoje não tem plantões e não tem tem pressões.

Boa noite e durma bem.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Sonhe comigo


É engraçado uma coisa, mas vou te falar.

Você é minha imaginação, você e o contexto do meu imaginário. Em alguma momento da minha vida te dei vida e você tomou forma e cor, atitudes e decisões, tornou-se independente de minha criação, tornou-se algo que hoje eu posso tocar, apesar de saber que só aparece quando eu quero, quando penso muito em você.

Esse dias estive pensando bastante em você, me sentia sozinha e precisava da minha imaginação de volta e pronto cá está você, do jeito que pensei, na verdade, não do jeito que pensei, não, é até bem diferente do que queria quando te formei, mas exatamente do jeito que sei seria.

Tem seu próprio andar, sua própria fala, seu jeito de cantar, sua cantada.

Adoro a conversa solta, mas nunca consigo conduzir as coisas como quero, não sei lidar com você, não sei o que fazer na verdade. Se fiz caras e bocas e agora com a verdade desnuda fica difícil me pronunciar.

Culpa minha eu que te fiz... minhas atitudes te fizeram.

Me pergunta se não, eu digo que sim.

Me pergunta como, não sei responder, omito.

Medo? De que? Não é meu. Fez parte de mim, mas os pensamento depois de formados e ditos tomam vida e se tornam de outras bocas, de outros corações, não e mais meu.

Difícil entender, eu entendo e pra mim agora basta.

Quero dizer, mas não digo.


Sonhe comigo

domingo, 1 de novembro de 2009

Mando notícias


Quanta chuva.

Hoje, 01/02/2009, as 23:51 para ser exata, não para de chover.

Domingo como todo domingo, não, acho que não, minha cidade Vitória do ES esteve presente na Revista Eletronica Fantástico, sinto que pelos motivos piores.

A chuva não cessa há 6 dias e muita gente está desabrigada, muitas encostas, todas povoadas desabaram.

Ontem, como sempre em dias chuvosos, fomos ao cinema, minha tia e eu levar meus primos para se distrairem, tinha certeza que a casa iria cair, mas pela bagunça dos pequenos, então, fomos. Quando lá não vimos a chuva e quando saímos, não havia lugar que não estivesse coberto por água, todas as ruas, a sensação e de medo, pânico, não saber como chegar em casa, e o medo de ficar parado no meio da rua, sem proteção, sem saber o que esta por vir, aflige.

Penso principalmente nos que não estão em segurança em suas casas, que perderam o pouco que tinham, que precisam recomeçar e agradeço pela segurança do meu lar e oro a Deus.


Beijos

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Chance


"Em tudo ao seu amor serei atento"


Estava cantarolando, no transito apressado as 18 horas, motoqueiros de toda parte, carros velozes que pareciam surgir do chão, enquanto minha nuca e meus ombros lutavam pra relaxar, ouvi o soneto da fidelidade.

A tempos atrás o declamava de cor, agora essa frase foi o que me restou... serei atenta... e quando não fui? E então lembrei que é de um homem pra uma mulher, isso sim soa mais surpreso, um homem mais atendo ao amor de sua mulher.

Há que diga e com razão que o tempo não volta e que se arrepender é tolice, mas vamos lá, o tempo não voltou para que eu pudesse acertar os desarranjos que causei a mim mesma, mas tive a oportunidade de dizer sim e não para algumas questão que vira e mexe voltam a bater a minha porta, vícios pequenos, hábitos bobos que queremos mudar e não fazemos, ficou corriqueiro, enraizado demais para mudar.

Hoje sou quase tão diferente quanto percebo no espelho, até fisicamente não me vejo a mesma e quer saber eu gostei, gostei muito.

Sabia que precisava mudar, que algo não estava bom, que me apossei de uma identidade que não era minha pra sobreviver no mundo dos holofotes, da popularidade e hoje, sou outra vez a garota calma e serena que passava as tarde de sábado sentada na beira do lago lendo romances adolescentes enquanto construía os sonhos, meus sonhos, onde o amor de um homem pode ser pronunciado sem que seja apenas trechos de um belo poema feito para nossos ouvidos.


" Love sweet Love "

sábado, 10 de outubro de 2009

♪ Tchuru, tchu, tchu ... ♪


" Na simplicidade de sandálias no pé "

Menina pra namorar, mulher pra casar


A menina que se denomina pra namorar, dever ser aquela comportada moça que anda sempre na companhia dos pais, que as reuniões com as amigas, que são sempre duas, nada além disso, é na sua casa.
A menina pra namorar é aquela que fala com prudência e anda com decência, que tem um sorriso angelical, se move com leveza e tem sempre a certeza de que seu príncipe virá, de certo num belo alazão branco.
A mulher pra casar é aquela que foi uma menina pra namorar, que certamente se casará com seu único namorado ou quando muito um dos raros que teve.
Que cursou a faculdade mais próxima de sua casa, que foi a sohws com os irmãos, que trabalha com afinco como se nada mais existisse, que sua vida ladeada por uma amiga ou talvez duas, as mesmas de anos atrás.
A mulher pra casar é aquela que fala com prudência e anda com decência, se move com leveza, sempre certa que chegará ao sonhado altar.
Quando o que deveria ser é que a menina pra namorar é aquela que enche seu peito de alegria, te faz sentir grande, te faz querer o mundo e se casa com ela e a faz feliz, ou simplesmente dê liberdade a ela pra ser feliz só e basta.

Quem determina o certo ou errado é o olhar, o que sente, já vi homens errados com mulheres certas e mulheres certas com homens errados, e já vi ambos sozinhos esperando.
Se há sintonia? Que tenho com isso?
Observo e espero, enquanto isso escrevo e descrevo.

domingo, 27 de setembro de 2009

Minúcias


Ando calma, serena, suave.

Ando como se não quisesse chegar, ando procurando encontrar, alguma forma, alguma desfecho, algum the end.

Ando sensata, em paz, fazendo a paz.

Ando com um passo de cada vez, ou muito veloz.

Estava relembrando, ou melhor relendo, relendo minhas entrelinhas, entendo as minúcias não faladas.

Estava buscando um momento e não o encontrei, o passado virou passado, não lembro mais o sentimento que havia quando escrevi as cartas que mandei, não tenho a memoria da dor das lágrimas que chorei, não sinto o cheiro leve do verão.
Porque, outros amores virão, mais um verão chegará pra me fazer senti um novo ardor em seu perfume, novas inspirações acalentaram meu coração, novo, de novo.

Quando ando, agora serena e calma, anda flutuando entre os carros e paisagens, entre os olhares e e movimentos gesticulares, ando pensando e não falando.

Respiro fundo, me vejo em meus olhos e espero...

... espero te encontrar.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Longe


As vezes me calo e se assim o faço é pra criar espaços
Pra deixar distante, pra inserir o vaco
Se num momento to perto, no outro tão distante me desfaço
Me desfaço de mim mesma, me desfaço como quem se alegra
Se alegra com o que há por vir, se alegra por aquilo que não foi
Que se rende na descoberta, que se desprende do que espera
Que não espera, que se cala.
Hoje não quero dizer apenas pra ouvi minha própria voz
Hoje não há parênteses entre nós, simplesmente não há nós.
Hoje tem eu mesma e um monte de você
Hoje tem você e um monte de mim mesma.
Fico sentada na janela, como quem espera a vida passar,
Ouço o vento e vejo a lua
Ouço silencio e fico muda
Observo e escuto e aprendo e sussurro e decoro o letra da musica
Why not?
Porque não fazer diferente, mais quente, mais firme, mais doce, mais seguro
Porque não atravessar a avenida pra um lugar mais seguro
Why not?
Porque não amar descabidamente, beijar displicentemente aquele belo rapaz
Porque não ficar sozinha, o que há de mal e ser a melhor companhia pra você mesmo por um tempo
Why not?
Porque não pisar diferente, rebolar docemente, requebrar na minha frente?

sábado, 29 de agosto de 2009

Why Not?


HOt
hoT
HOT
hOt
Think about this!

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Não deveria se chamar AMOR


O AMOR que eu te tenho é um afeto tão novo
Que não deveria se chamar AMOR
De tão irreconhecível, tão desconhecido
Que não deveria se chamar AMOR
Poderia se chamar NUVEM
Pois muda de formato a cada instante
Poderia se chamar TEMPO
Porque parece um filme a que nunca assisti antes
Poderia se chamar LA-BI-RIN-TO
Pois sinto que não conseguirei escapulir
Poderia se chamar A U R OR A
Porque vejo um novo dia que está por vir
Poderia se chamar ABISMO
Pois é certo que ele não tem fim
Poderia se chamar HORIZONTE
Que parece linha reta mas sei que não é assim
Poderia se chamar PRIMEIRO BEIJO
Porque não lembro mais do meu passado
Poderia se chamar ÚLTIMO ADEUS
Que meu antigo futuro foi abandonado
Poderia se chamar UNIVERSO
Porque sei que não o conhecerei por inteiro
Poderia se chamar PALAVRA LOUCA
Que na verdade quer dizer: aventureiro
Poderia se chamar SILÊNCIO
Porque minha dor é calada e meu desejo é mudo
E poderia simplesmente não se chamar
Para não significar nada e dar sentido a tudo




quarta-feira, 29 de julho de 2009

De partida


Estou de malas prontas.

Pra onde vou não sei, sei que vou, tão depressa que nem perceba, tão sútil até que desapareça.

Coloquei em minha mala de tecido floral, bem alegre e extravagante um pouco de tudo que quero ter sempre comigo, para onde vou.

As lembranças tomam parte da manhã e os sonhos ocupam a tarde e a noite, bem, a noite apenas durmo.
Como disse levarei em minha bagagem, umas sementes de hortaliças, seu cheiro que agrada e seu sabor traz benefícios.
Uma muda singela de pimenteira vermelha como fogo.
Um sorriso descompromissado.
Uma verdade na boca de uma criança .
O nascer do sol.
A lua cheia esplendorosa.
O som de pássaros.
Uma brisa leve e sol manso.
Levarei também recordações de cereja e mel.
Amores de contos de fadas e príncipes de cordel.
Um pouco de açúcar e café.
Um pouco de minha sabedoria dada com o tempo e muito da minha infância, pois essa, essa sim eu quero muito.
Uma lista comprida de afazeres diários. Andar, cantar, reverenciar o sol, observar serena lua, nadar na cachoeira, mordiscar amoras.
Hum..
Estou de partida se quer, vem comigo, se não deixe ir.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Always


" Após a tempestade sempre vem a calmaria "
O difícil é não lembrar da tempestade ao restaurar os danos que causou, não lembrar do som da chuva no telhado ao trocar as telhas, ou o barulho do vento forte ao repor a janela quebrada.
Dia após dia, nos dias de paz e sol, esperando paciente pelo fim. Quando parar diante de tudo e ver que a casa se tornou ainda mais bela e forte e admirado não lembrar mais a tempestade que houvera em outrora. Que na verdade, não foi nada além de uma brisa leve de outono.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Porque tenho asas...


Onde estava com a cabeça que cai nesse mundo louco de contradições.
Onde estava em pensamentos, que não me vi perdido entre mansões.

De querer, de faz de conta, de imaginar, de sonhar.

Onde estava com minhas ideias quando formei minha ilusão, onde estou agora.

Onde estou se não dentro de mim mesma e pedindo aos céus pra estar em qualquer outro lugar.

Onde vou se faço e me refaço, corto meus cabelos, sem corta os pulsos, corto os laços com o passado, enquanto espero pelo futuro.

Estava agora mesmo pensando como me safar sem ser vista, como passar despercebida, mas não vejo como se meu sorriso resplandece em meu rosto dia a dia, se meus dias triste não sobrepõem aos tantos dias felizes que vivo, se quando menos percebo estou cantando e rindo, cantarolando sozinha, enquanto o vento manso e tranquilo acalma meu coração e passa por meus braços abertos, na minha eterna mania de ser feliz, de querer voar.

Quero um chão firme pra pousar meus pés, sempre que estiver viajando entre as estrelas, quero um abraço forte sempre que chegar e um beijo suave na fronte sempre que partir, quero a benção da minha mãe, o aconchego que há no sorriso de minha avó, pra saber que ali e meu lugar.

Vou e volto e sempre continuo. A inconstância me apraz, na verdade um sorriso solto me cai bem melhor.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Numa noite qualquer


Numa noite qualquer, com o friozinho de inverno, tudo que eu não quero e te convidar pra dançar e te ligar.

Sou mulher e quero poder ser mulher, ser cortejada, viver minhas paixões descontroladas e avassaladoras, sentir medo e insegurança por um homem pela metade.

Quero poder dizer que penso em você mesmo sem querer, mas respiro fundo visto minha roupa de mulher forte e segura, que mantém a sensatez, mesmo depois de duas doses de uísque, simplesmente pra você não ver.

Porque os homens se sentem tão poderosos por causar nas mulheres tamanho descontrole, tão covarde, tão vil, tão pequeno, ver uma pessoa feita de cristal mais puro, doce, ser tratada de forma tão bruta e tentar ficar firme.

A cada investida uma dor profunda, uma força enorme pra continuar de pé.

Numa noite qualquer, não quero olhar ao meu lado e encontrar uma pilha de livros com marcadores pelos meios da paginas. Livros não concluídos, bebericados como um champanhe na noite solitária, sem ter um fim. Já li muito, me informei demais e hoje quase me vejo na obrigação de ler seus pensamentos, entender suas minúcias e lamentavelmente enganar a mim mesma com as palavras amenas que você deveria dizer.

Numa noite qualquer esqueço e durmo.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Não me ame

Porque você chora depois de amar?
E olha pras horas,
Finjindo não olhar?
Se quando me pega,sua mão me aperta.
Em seu pensamentoo que esta se passando?

Eu te quero tanto,e porque será?
me diz até quando você vai duvidar
Mesmo que o futuro seja um muro enorme
eu não tenho medo de seguir te amando

Não me ame porque pensa que eu pareço diferente
E não pense que é pra sempre
Só porque estamos juntos

Não me ame que eu entendo a mentira que seria
Se esse amor é tão grande,

não me ame mais fique mais um dia

Não me ame que eu estou perdido
esse é o meu mundo e o outro é o seu destino
porque não se pode ver além do espelho se existe um medo
por de tráz de cada beijo


Não me ame,pra seguir sofrendo
e ficar por dentro cheio de arrependimentos
não me ame com os pés na terra
quero abrir as asas e voar pro espaço
entre o céu e o inferno

E não fique triste com o que eu falar
porque agora é tarde pra não magoar

Se esse é o instante de seguir em frente
fica mais um pouco que ainda estou quente

Não me deixe,Não me deixe,
Não me escute quando eu digo
Não me ame
Não me deixe
Não machuque o meu coração com esse não me ame
Não me ame não me deixe o que eu digo nem mesmo eu sei

Se eu me afasto dos teus braços esse amor eu nunca esquecerei
Não me ame nunca se engane com esse amor tão grande

que não faz sentido
Não me ame,nunca se engane com esse amor tão grande e tão dividido

Não me ame ficaremos juntos um dentro do outro cada vez mais juntos
Esse amor é como um Sol que abre em plena tempestade como dois cometas em uma mesma estrela.



Tania Mara e Alexandre Pires

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Meia palavra basta


Estou em pleno ar, num perfeito salto duplo
Enquanto meu corpo gira
Busco ficar de olhos bem abertos
Não ouço nada, além do atrito do ar na minha pele
Um frio na barriga, sensação de medo e ansiedade, para tocar o solo com beleza e leveza
Poderia permanecer no ar girando
Procurando o melhor ângulo para olhar a vida
Que já não é mais a mesma
A intensidade com que tudo se move em mim e pra mim
Causa um desconcerto que sei ser vital.
De braços abertos e corpo erguido, escuto a ovação
Respiro fundo enquanto resisto a ficar de olhos fechados
Novamente

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Assumo que sim.


Hoje o céu não está rosa como o de costume
O vento está mais gélido e impessoal
A correria das pessoas não esta desapercebida
O barulho das buzinas tilintam nos meus ouvidos
Meu telefone não toca como quero
Minha inquietação não silencia a voz da saudade
Hoje o céu está com menos brilho que de costume
A lua cheia não me convida a passear
O frio da noite de inverno só me faz pensar
Pensar em esquecer sem poder
Pensar em você e não querer
Minha voz está mais aguda e pérfida
Minha doçura cantou seu ultimo cântico, está muito frio agora
Hoje o céu tem nuvens e está cinza, não está como de costume.

domingo, 31 de maio de 2009

Salmo 23


"O Senhor é o meu Pastor, nada me faltará.
Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente às águas tranquilas;
Refrigera a minha alma, guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome,
Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte não temeria mal algum,
porque tu estás comigo, a tua vara e o teu cajado me consolam;
Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos,
unges a minha cabeça com óleo,
o meu cálice transborda;
Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias de minha vida,
e habitarei na casa do Senhor por longos dias."

quarta-feira, 27 de maio de 2009

L'amour

Fica sentado fazendo perguntas soltas para me entender melhor.

Me hipnotiza com as palavras certas e mais cedo ou mais tarde, eu vou te beijar mesmo (risos).

Não sei se o truque deu certo ou se simplesmente não consegui resistir a você, te beijei.

Minhas palavras seguem seus pensamentos.

Fica parado me olhando, enquanto mexe nos fios soltos do meu cabelo

Me esquivo, desvio o olhar, rearrumo o cabelo, não resisto, te encaro e tudo silencia, te adoro.

Seu silencio segue meus pensamentos. 

Eitá, jeito de gostar que aquece o coração e deixa suave a vida, o andar fica leve, o sorriso é perene. 

Que não se encerra no beijo de tchau, que quer a próxima chance de estar junto, sem cobranças, livre e sereno como deve ser, simples e completo.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Mistérios




"Não há disfarce nesse seu olhar
Que incendeia
O meu coração
Esse desejo
Te revelará em um simples gesto
Qual será sua intenção
Eu só quero que você entenda
O meu sentimento é verdadeiro
Não há segredos quando o amor chegar
Seu olhar foi de encontro ao meu
O meu destino está junto ao teu
Meu vicio,
Mania,
Eu desvendei os mistérios do seu coração"


Jorge e Mateus

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Um oitavo


Da janela do oitavo andar, assisto aos carros velozes que passam pela avenida iluminada, me perco no som que o pneu faz sob a pista molhada, rapidamente vira musica, em instantes estou compondo um soneto, imaginando as pessoas que ocupam os veículos e em suas vidas.

Em que momento do dia suas vidas parearam com a minha, eu só vejo a mim mesma.

O telefone agora mudo na escrivaninha, já recebeu ligações demais por hoje, ainda assim o som da campainha se junta ao som que vem de fora, medito.

Onde os passos se perderam, onde os sonhos se tornaram efémeros, onde estava quando tudo mudou, porque quando me olho no espelho ainda vejo a menina que há em mim.

A menina que corre e dança e fala e fala, que tem uma necessidade de contar ao mundo seus planos secretos, que se veste de bailarina com uma coroa na cabeça e sabe que é princesa.

Que anda na beira do rio pra ver os peixinhos brincarem, que parece flutuar pelas ruas e ri de tudo. A menina arteira, pipoca, princesa, que de tanto falar, conquistou o mundo que ela quis, que cobriu de giz o rosto de menina e se tornou mulher, que vez por outra fica na janela do oitavo andar observando os carros a passar.

Apaixonada, amando e amada, só entende de cores e sons, de musica e poesia, de um céu com arco íris e estrelas.

Estava aqui, dentro de mim.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Ahhh


Estou um pouco cansada, cansada de tanto pensar, meu cérebro não da trégua, pensa em tanta coisa e ao mesmo tempo, que me vi falando sozinha pela casa, precisava colocar pra fora todas as informações concluídas e dizer em voz alta outras tantas pra procurar nexo.
Carência?? Talvez sim, talvez não, ultimamente estou tentando apenas dormir uma noite inteira, quando me sobrevem em turbilhão, as palavras chaves dos assuntos que andam margeando meus dias.
Estou cansada, estou com saudades, estou estafada emocionalmente.

Meu corpo esta sofrendo com toda essa inquietação, ta dolorido cada parte de mim, cada musculatura e articulação.
Acendo um cigarro, tomo um drink e ... se esses vícios me servissem seria ótimo, mas não. Prefiro uma boa massagem e um chamego bom do meu namorado. Aguardo...
Fique a vontade, fale o que quiser, pense o que quiser, não serei eu a cortar suas asas. Posso simplesmente ignorar ou aceitar, mas você, você pode falar.

Pai


Estou com saudades, saudades do meu pai.

Hoje lembrei que há uns meses estive visitando sua casa, era aniversario dele de 51 anos e da minha irmazinha de 1 aninho. Toda minha família estava lá, meus tios irmãos do meu pai, meus primos, eu e meu irmão mais velho com sua namorada, a cidade estava tomada por festas da família, aniversários aos montes de dia um a noite outro e no dia seguinte mais, estavamos todos as voltas com as comemorações e felizes em família.

Na noite do sábado, enquanto nos preparavamos para uma das festas, meu irmão, já que meu pai e sua esposa não iriam ao aniversario, decidiu levar Vitória pra brincar com as outras crianças, de pronto aplaudi a ideia e me deliciei com minha irmazinha.

Vitória é uma menina calma, tranquila, extremamente amável, estava bem conosco ate o momento que viu um carro parecido com do nosso pai e caiu em lágrimas, sem conseguir acalma-la voltamos pra casa e durante o percurso nada a vazia parar de pensar no papai. Em casa assim que nosso pai abriu a porta e ela o viu, eu me emocionei, ela abriu os bracinhos balbuciou papai e abraçou ele como se temesse perde-lo.

Ainda lembro dessa cena toda vez que penso nele, como eu gostaria nesse momento e em vários outros fazer assim como Vitoria, chamar pelo meu pai e só parar de desejar a presença dele quando assim pudesse te-la.

A medida que cresci, e me tornei responsável por mim mesma, quis no meu intimo ser criança de novo apenas pra poder declarar sem medo o quando preciso de colo, o quanto me faz falta aquele abraço de acalento do meu pai.

Esta tão perto e tão longe ao mesmo tempo, os compromissos, o trabalho e correria de todos os dias, nos deixou tão distantes uns dos outros. Um telefonema aqui e outro ali, apenas pra saber que estamos vivos e seguindo, não e mais suficiente pra mim, sinto saudades do colo.

Porque mesmo sabendo que preciso fazer, ainda assim não reúno forças em mim para fazê-lo? Quando, na medida em que me tornava adulta me fiz covarde a ponto de perceber na minha irmazinha que quando queremos e só buscar? Que quando preciso do meu pai perto de mim é só ir ate ele?

Eu só estou com muita saudades.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Feito por encomenda



Feita pra caber nos seus braços, feito pra preencher os espaços em meu coração.

Completamente meu, sem interrupções, sem jamais deixar de tentar tocar meu intimo, alcançar a plenitude de minha alma, me encantei por você.

Me encantei com seu jeito de sempre me desejar perto, de não permitir parênteses entre nós, de falar ao meu ouvido tudo que secretamente pedi aos céus ouvir de você que foi feito pra mim.

Feito por encomenda, as medidas ditadas nos meus sonhos, meus anseios margeados com cobertura de creme numa torda de cerejas. Feito de nuvens de açúcar e chuva perfumada, meu carinho, meu bem querer.

Meu lápis de cor, desenhou seus mistérios e eu de olhos fechados confiei na intuição pura e genuína que conduziu minha mão.

Ao seu lado me sinto feliz, ao seu lado é onde gosto de estar.

Te ofereço o que trago de melhor, pra regar sua vida de momentos felizes.

Te ofereço força e paz para as horas de maior infortúnio.

Te ofereço felicidade e alegria, para nunca deixar de amar.

Segredo do meu coração.

domingo, 3 de maio de 2009

"A indesejavél"


Estava pensando um monte de coisas e uma delas é como eu detesto a TPM.
Coisa atormentadora e repulsiva que transforma alguns dias minha vida num grande lago de lágrimas, nossa, como fico sensível e irritável, altamente virulenta com essa peste que se alastra por onde passo.

Louvado seja o homem que consegue sobreviver a esses rompantes de Eva, que vira e mexe se torna assunto nessas paginas.
E cá pra nós, haja assunto, tenho muitos, acabo por me transformar num ser filosofante ou filosofal ou apenas um mulher questionadora e irritantemente ligada ao sentimentalismo exarcebado, exageradamente ligada numa grande artéria que pulsa do intimo do meu coração ate minha boca.
O carinho do meu namorado se torna pouco, imagina, queria o que, que virassemos siameses??

A atenção desprendida a mim de qualquer ser existente parece ser demasiado distante, em outras palavras um bom dia sorridente de um estranho na feira de domingo não é o suficiente, logo me vem a pergunta, o que há com o mundo, porque estão todos tão frios e distante??

Acordo na manhã seguinte com uma bela cicatriz no rosto e algumas dores distribuídas pelo ventre, obviamente o mundo não esta nem ai pra minha TPM.

Identificada a causa me resta apenas sentar e esperar passar até que no próximo mês volte.

Uma curiosidade irresistível, todo mês acontece da mesma forma e ainda assim demoramos um dia inteiro de grande transtorno emocional e uma labilidade incrível para admitir que a indesejável estará comigo nos próximos dias.

Uffa.. até o texto queria sair de perto de mim, agora quem conseguir termina-lo, minhas congratulações!!

beijokinhas a todos

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Observo


Hoje sou espectadora, estou sentada no centro do teatro para assistir a peça de todos os ângulos.
Hoje não posso interpretar, não posso fingir, apenas me emocionar. 
Observo absorta nesse mundo de faz de conta, nesse mundo tão real pra mim.
Daqui de onde estou, apenas a observar, minha opinião não valerá mais que o entusiasmo do colega ao lado em ouvi-la, minhas emoções  serão perdidas na penumbra do casarão de artes. Minha vida contada em conto não me pertence, as cenas são minhas sem mim, apenas observo, atenta.
A historia se desfaz e novamente toma tino e cor e assim reconheço meu rosto no meio de tantas faces admiradas, quando escuto a mim mesma, ouço numa sintonia diferente.
As vezes confuso e ao mesmo tempo tão claro, o que posso dizer alem de que nesse momento é preciso calar minha voz e observar, atenta.
Que feche as cortinas

quarta-feira, 8 de abril de 2009

terça-feira, 7 de abril de 2009

O que sente e como sente


"Seria comico se não fosse o tema de muitos dramas épicos, pra tornar o amor tragico"

A necessidade emergente de quantificar e qualificar o que se sente pelo outro numa relação, faz com que o sentimento fique mau definido.

Quando se encontra uma pessoa andando pela rua, numa fila de cinema, num barzinho, enfim, a principio o que te faz querer o ser espreitado é puramente química, atração de macho e fêmea, então acontece o bate papo, as saídas ficam mais frequentes, os encontros quase que diários, os telefonemas são salvo pelas mensagens de celular e pela internet, que ajudam a dispersar os gastos.

O beijo vira romance e atração passa para o encantamento, fato de se sentir encantado com o outro, pelas ações, pela alegria, etc. Exatamente nesse momento que os sentimentos se fundem, se confundem, se declaram.

Paixão e amor, encantamento e admiração viram coisa única, não se consegue distinguir limites pra um e outro, quando sabemos que a admiração sempre vai existir, admira-se algo ou alguém porque nele há o que se admire pra você.

Me encanto pela gentileza, pelo carinho, pela educação, pela alegria, tudo isso e muito mais me encanta e encanta a muitos, quem não se derrete diante a uma manifestação de carinho e educação?

Paixão ... hum, já falei sobre ela... fugaz, acontece no mesmo instante que deixa de acontecer, instavél, louca, lábil, inconfiável, mas deliciosa de ser vivida. Me apaixono pela vida, pelo sol, pelo mar, por meus amigos, por um belo sorriso, um par de braços e um peitoril malhado, paixão vai e vem, sem conteúdo, sem consistência, sem pretensão de vir a ser.

Amor, tão nobre que não se permite ser sentindo tão displicentemente, para amar verdadeiramente tem que haver convivência, tem que ter dias tempestuosos, dias de calmaria, tem que ser solicito e nunca cobrar, aprende-se o amor no dia a dia, ao longo dos anos, na tentativa incansável de jamais deixo morrer, primeiro no seu coração, depois no coração do seu amor. Descrever o amor, delimitar seu poder, não serei eu a fazer isso, só quero vive-lo, sem confundi-lo, porque quando declaramos amor num momento de súbita paixão desenfreada, pintamos o amor de cinza, deixamos ele pequeno e egoísta, errado.

O amor não deve ser confundido, deve ser sentido de forma sublime, no dia a dia. Como diz meus avós, são muitos anos juntos para sentir que quer continuar muitos anos mais juntos.

Não me julgue pretensiosa com minhas definições e meu querer, minha fonte de pesquisa é a vida e as vidas, os contos, as historias, um pouco aqui e outro pouco ali.

Uma dica importante para terminar, seja sempre você, e acredite é importante!!

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Acontece



Se consigo prever o futuro por um instante, já imagino felicidade sem fim.
Não sei se foi um desejo intenso que se tornou real ou sorte do destino, prefiro crer que o destino ouviu meu coração.
Que na palma de minha mão eu vi seu nome escrito.
Havia desejo, havia paixão, havia o cheiro doce de amor novo chegando, de carinho e denguinho sem fim.
Havia mais de você em mim que poderia prever.
Havia amor antes do beijo.
Seu jeito de me olhar, a maneira de exigir minha presença, de me esperar chegar. Sempre soube que seria assim, senti a paixão.
Como a chuva lava alma, nessa noite tomo banho de chuva, em cada gota um desejo, em cada sorriso um pedido, pedido de paz e amor próspero.
Deixe que todos os males, toda tristeza, toda falta de amor, se vá com a chuva forte.
Que a água santa lave a alma de todos e assim o sol possa entrar e reconstruir os corações.
Que meu sonho e seu sonho sejam o dia de amanha, que o amanha traga consigo uma nova maneira de sorrir e que seja eterno.
Beijos com caramelos

domingo, 22 de março de 2009

Saltar


Intensidade, movimento, uma questão de tempo, uma questão de escolha, um laço do destino, uma razão pra dizer, querer...

To querendo, to buscando, desejando um algo alem.

Palavras soltas, roupas jogadas, cama desarrumada, um momento pra reviver.

Um caminho a seguir, uma direção para rumar, eu cansada de me importar, to querendo paz.

Paz e uma rede, um luar com estrelas e um mar

Me lançar, saltar, mergulhar, tão fundo que não possa mais voltar

Voltar pra mesmice dos dias, dos sonhos catalogados na sessão impossível, nas mentiras, nas mascaras, nos dizeres sem razão.

Voltar para uma vida onde a paixão se tornou escassa e temerária, divida, substituída, vendida.

Alma livre e mãos atadas a outras mãos , sem determinação, sem um lugar pra chegar.

Desejo PAZ!

Um coração que bata mais devagar, sereno, tranquilo, amoroso e carinhoso.

Apenas desejo Paz.

quinta-feira, 19 de março de 2009

Que abram as cortinas


Ainda lembro o som do teatro vazio, do barulho do palco e mais ainda das palmas da plateia.

Uma sensação inexplicável, quando as cortinas se abrem e as luzes estão em cima de você e tudo começa.

Estou torturando a memoria pra lembrar um poema que interpretei e nada, mas lembro das moedas sento atiradas ao chão, da segunda roupa sendo rasgada com selvageria, tudo compunha o corpo do poema daquela cidade do interior.

Ali naquele palco foram apresentações de dança e canto e algumas peças, mas essa declamação foi um premio. Sabia que ali poderia ser qualquer um e qualquer coisa, muitas vidas em uma só, se não fosse pela imposição do pai em seguir os negócios da família, aristocrático e imparcial.

Por vezes a tardinha, visitava o hospital e o asilo, algo se movia em mim, cria que se tivesse que fazer algo na vida, teria que ser bom.

Enfim, hoje gerencio pessoas para cuidar de vidas, juntei as duas coisas em uma só, os corredores viraram meu palco particular, entro nas enfermarias cantarolando e há quem diz que quando ando pareço dançar, ali não interpreto vidas, mas as vivo junto, suas dores, lágrimas e lamentações, alegrias e risos também.

No fim é sempre igual, me curvo diante a minha plateia e em reverencia agradeço enquanto observo a cortina se fechar.

Assim termina meu show, assim termina meu plantão.

Em algum lugar em mim, há um pouco de tudo, de artista e de gente comum, me resta ainda escrever. Escrevo a todo o tempo, mesmo sem papel e caneta, escrevo nas nuvens e na areia, escrevo no sorriso e nas canções, enceno a vida como ela é.

terça-feira, 17 de março de 2009

Seducción


"Beija eu, beija eu, beija me beija e deseja que seja seu ..."
" Love, love, love..."

sexta-feira, 13 de março de 2009

~ Frescor ~

Estou estonteantemente rendia a doçura de um novo amor
Um amor fresco, suave, dedicado, arranhado, mordido.

Um amor regido a musica de Jason Mraz e regado do perfume CK.

Hum... desejosa de conversas sem ponto final, de brincadeiras e declarações.

Ando pela rua e o calor que faz, perturba os sentidos, lacina o humor, mas continuo com meu sorriso impecável, conquistador, na tentativa de encontrar distraída o destino me abrindo os braços e que braço...

A areia da praia me faz sentir segurança e o vento me lembra do como gosto de voar, se fecho os olhos, nada me alcança. Nada dará errado, tudo saíra conforme o plano, mesmo que tenha que ter um plano B, dará tudo certo, porque aprendi a voar, minha alma é livre, meu espírito canta a melodia do vento e nada me faz parar, quando o que preciso e chegar a qualquer lugar que haja paz.